Trajetórias Transatmosféricas Hipersônicas Tridimensionais: Curioso Desafio em Sistemas Dinâmicos Não-Autônomos

Palestrante: Prof. Leonardo de Olivé Ferreira, Ph.D.

8 de junho de 2011 - 14h

Local: Auditório A112 – Bloco A - Campus Santo André

 

 

Resumo da Palestra: 

Por volta de 1876, Konstantin Tsiolkovsky lançou a primeira coleção coesa de idéias sobre vôos espaciais, efetivamente fundando o que conhecemos como Astronáutica. Cuja história atingiria um marco miliário em 1956-7, com as primeiras reentradas bem-sucedidas de veículos aeroespaciais.  A seu turno, em 1879, Gaston Floquet lançou as bases da investigação teórica sobre estabilidade de sistemas diferenciais não-autônomos. A terceira parte da tese doutoral de A. M. Lyapunov (1892) trata a questão sob prisma algo diferente. Entre 1928 e 1930, Oskar Perron formalizou o problema, construindo, en passant, a primeira versão de exemplo que se tornaria clássico na literatura. Subsequentemente, K. P. Persidskii (1946) e R. E. Vinograd (1952) perceberam a clara implicação do problema em certos ramos da Teoria e Engenharia de Controle Não-Linear. Vinograd, em especial, forneceu a fundamentação matemática para a introdução, duas décadas mais tarde, do conceito de auto-valores e auto-vetores variantes no tempo. De lá para cá, pelo menos duas vertentes  de um lado, os matemáticos, do outro, os engenheiros  têm produzido apreciável volume de resultados, sem, no entanto, conseguir uma solução definitiva e universal.  De outra parte, em anos recentes evidenciou-se que manobras de entrada atmosférica tridimensional (assim como o preciso controle posicional de certas classes de plataformas de petróleo) redundam, de maneira incontornável, em problemas de estabilidade de sistemas não-autônomos. E tudo se agrava na medida em que está se questionando a própria validade do processo de linearização quando aplicado a tais sistemas.  A apresentação em pauta resumirá o histórico dessa linha de disquisição, bem como as contribuições de matemáticos, físicos e engenheiros. Chamará atenção para alguns detalhes técnicos interessantes e exibirá especulação quanto ao porquê de as manobras em questão demandarem tratamento via formalismo de Perron-Persidskii-Vinograd. E delineará o rumo das investigações correntes do autor, e os resultados esperados. Especial atenção será dispensada àqueles com potencial impacto sobre a teoria dinâmica de entrada atmosférica.

 

Sobre o Palestrante: 

Graduação: Engenharia. Mecânica e Armamento, IME - Instituto Militar de Engenharia, 1986. M.Sc.: Ciência Espacial / Mecânica Orbital, INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, 1989. M.S.E.: Aerospace Engineering - The University of Michigan - Ann Arbor, 1992. Ph.D.: Aerospace Engineering - The University of Michigan - Ann Arbor, 1995. Experiência nas áreas de Engenharia. Aeroespacial (dinâmica de reentrada e de satélites e estabilização de foguetes de sondagem) e de Engenharia. Naval e Oceânica (ênfase em Projetos de Sistemas Oceânicos Fixos e Semi-Fixos). Atuou principalmente nos seguintes temas: reentry, trajectories, Boole's method, stability e optimization. Ministra Engenharia de Controle (na Engenharia. Mecânica), Transferência de Calor, Mecânica de Fluidos, Máquinas de Fluxo e disciplinas da área geral de Matemática Aplicada na UFF - Universidade Federal Fluminense, onde é Professor Adjunto. Principais interesses de pesquisa: reentrada tri-dimensional e estabilidade de sistemas dinâmicos não-autônomos, tanto no contexto de Matemática quanto visando aplicações nas engenharias. derivadas da Mecânica e da Elétrica e, mesmo, em determinados ramos da Física.